Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


Barra lateral

CMQ
Centro de Métodos Quantitativos


USP ESALQ
Depto. de Ciências Florestais
ESALQ
UNIVERSIDADE de SÃO PAULO
Av. Pádua Dias, 11
Caixa Postal 09
13418-900 - Piracicaba - SP
BRASIL
publico:metrvm:glossarivm:c
glossarivm-logo.jpg Apresentação
A B C D E
F G H I J
K L M N O
P Q R S T
U V W X Y Z
Referências

c.jpg

CAP

Tipo de Verbete: grandeza.

Definição: Circunferência à altura do peito. É a medida tomada com fita métrica do tronco de árvores, para posteriormente ser convertida em diâmetro, bastando para isso dividí-la por pi, assumindo-se que a secção transversal do tronco é um círculo.

Unidade: centímetros ($ cm $).

Notação: Sendo considerado equivalente ao dap dividido pela constante pi ($ CAP = \frac{DAP}{\pi} $), é raramente utilizado em expressões algébricas, não necessitando de símbolo próprio.

Carl-Leiss, clinômetro

Tipo de Verbete: sinônimo.

Definição: Ver Blume-Leiss, clinômetro

Cavalieri, fórmula de

Tipo de Verbete: sinônimo.

Definição: Ver também Newton, fórmula de

Censo

Tipo de Verbete: conceito.

Definição: Abordagem exaustiva ou de 100% das unidades amostrais da população. A completa enumeração reproduz exatamente todas as características da população, ou seja, fornece o valor de seus parâmetros, e não estimativas.

Ver também: Estimação.

Leitura: Pellico Netto e Brena, 1997.

Christen, hipsômetro de

Tipo de Verbete: instrumento.

Definição: Hipsômetro baseado em semelhança de triângulos. Trata-se de uma régua com uma reentrância de 30cm de comprimento, graduada em intervalos decrescentes. A leitura da altura da árvore é feita com o auxílio de uma baliza geralmente de 2 a 4 metros que fica encostada na árvore que está sendo medida.

Leitura: Machado e Figueiredo Filho, 2003

Cilindro

Tipo de Verbete: conceito.

Definição: Sólido geométrico de base circular cujo diâmetro da secção transversal permanece constante à medida que se desloca da base para o topo do sólido. O volume do cilindro é obtida pelo produto da área da base pela altura.

Ver também: sólidos de revolução

Leitura: Batista, 1998; Machado e Figueiredo Filho, 2003.

Clinômetro

Tipo de Verbete: instrumento.

Definição: Tipo de hipsômetro que mede o ângulo de inclinação do instrumento (ângulo de visada), obtendo a altura da árvore pelo produto da tangente do ângulo medido vezes a distância observador-árvore. Palavra composta com radicais gregos: clinon = inclinação e metron = medida.

Leitura: Batista, 1998; Machado e Figueiredo Filho, 2003.

Coetânea

Tipo de Verbete: sinônimo.

Definição: Ver idade

Compartimento

Tipo de Verbete: sinônimo.

Definição: Ver talhão

Comprimento de copa

Tipo de Verbete: grandeza.

Definição: Refere-se à parte compreendida entre o topo e a base da copa de uma árvore, ou seja, é a diferença entre a altura total e a altura da base da copa.

Unidade: metros ($ m $).

Notação: $ l_c $.

Leitura: Batista, 1998.

Cone

Tipo de Verbete: conceito.

Definição: Sólido geométrico de base circular cujo diâmetro da secção transversal aumenta de modo linear à medida que se desloca do topo para a base do sólido. O fator de forma absoluto do cone é um terço.

Ver também: Sólidos de Revolução.

Leitura: Husch et al., 1982; Batista, 1998; Machado e Figueiredo Filho, 2003.

Conglomerado

Tipo de Verbete: conceito.

Definição: Grupo de unidades amostrais com disposição espacial sistemática onde a locação aleatória é realizada para o grupo e não para as unidades amostrais individualmente.

Leitura: Shiver e Borders, 1996.

Correção para declividade

Tipo de Verbete: grandeza.

Definição: Fator que deflaciona a medida da altura das árvores. Ao medir a altura de uma árvore com hipsômetros, é necessário conhecer a distância observador-árvore, que é sempre a distância horizontal. Porém, em terrenos declivosos a distância no terreno pode diferir bastante da distância horizontal, sendo necessário corrigir a medida da altura obtida.

Unidade: grandeza adimensional.

Notação: $ c_d $.

Leitura: Batista, 1998.

Cotta, Henrich

Tipo de Verbete: personalidade.

Definição: Florestal de origem germânica a quem se atribui a construção da primeira tabela de volume, que foi elaborada em 1807 para faia. No seu trabalho, enunciou um postulado e estabeleceu o conceito básico que moldou todos trabalhos subsequentes de determinação do volume de árvores.

Ver também: Cotta, postulado de.

Leitura: Spurr, 1952.

Cotta, postulado de

Tipo de Verbete: conceito.

Definição: Postulado enunciado por Henrich Cotta em 1821 que orientou a construção de tabelas de volume no passado e orienta a construção de equações de volume nos dias atuais.

Enunciado:O volume de uma árvore depende do seu diâmetro, altura e forma. Se o volume de uma árvore é corretamente determinado, ele será válido para outras árvores com o mesmo diâmetro, altura e forma”.

Ver também: Equação de volume, Tabela de volume.

Leitura: Spurr, 1952; Batista, 1998.

Crescimento (de árvores)

Tipo de Verbete: grandeza.

Definição: Aumento do tamanho da árvore com o correr do tempo. Pode se referir a diferentes partes ou dimensões da árvore: crescimento em diâmetro, em área transversal, em altura, em volume, em biomassa, em largura de copa, etc., sendo geralmente medido na forma de incremento. O crescimento também pode se referir ao aumento do valor da árvore no decorrer do tempo.

Ver também: incremento.

Unidade: Razão da unidade da grandeza de crescimento pela unidade de tempo, geralmente ano. Exemplos:

  • diâmetro - $ cm~ano^{-1} $;
  • área transversal - $ m^2~ano^{-1} $;
  • volume - $ m^3~ano^{-1} $ ou $ dm^3~ano^{-1} $.

Notação: Uso da letra grega maiúscula delta ($ \Delta $) acompanhada do símbolo referente à grandeza. Exemplos:

  • diâmetro - $ \Delta~d $;
  • área transversal - $ \Delta~g $;
  • volume - $ \Delta~v $.

Leitura: Philip, 1994; Avery e Burkhart, 1983; Assmann, 1970.

Crescimento (da floresta)

Tipo de Verbete: grandeza.

Definição: Aumento de um atributo da floresta (povoamento florestal) no decorrer do tempo. O atributo pode ser um valor médio de árvores individuais, como DAP médio, área transversal média, altura média, altura média das árvores dominantes, volume médio por árvore etc., ou pode ser um total por unidade de área, como área basal (metros quadrados por hectare), produção (volume ou biomassa por unidade de área), densidade (árvores por hectare), etc.

No caso do atributo ser um total, o crescimento da floresta terá os vários componentes. Tomando o crescimento da produção em volume como exemplo, os componentes são:

  1. variação do volume das árvores sobreviventes ($ S_V $);
  2. volume devido ao ingresso de árvores ($ I_V $);
  3. volume devido à mortalidade de árvores ($ M_V $);
  4. volume devido à colheita ou desbaste ($ C_V $).

Com base nesses componentes, é possível se definir alguns tipos fundamentais de crescimento do povoamento. Tomando $ V_1 $ e $ V_2 $ como o volume do povoamento no início e final do período, respectivamente, e notando que $ V_2 = S_V - M_V - C_V + I_V $, temos:

  • Crescimento Bruto: $ \Delta~V = V_2 + M_V + C_V - I_V - V_1 $
  • Crescimento Líquido: $ \Delta~V = V_2 + C_V - I_V - V_1 $
  • Incremento Corrente (aumento líquido): $ \Delta~V = V_2 - V_1 = S_V - M_V - C_V + I_V $

Ver também: incremento.

Unidade: Razão da unidade do atributo de crescimento pela unidade de tempo, geralmente ano. Exemplos:

  • diâmetro médio - $ cm~ano^{-1} $;
  • altura média - $ m~ano^{-1} $;
  • área basal - $ m^2~ha^{-1}~ano^{-1} $;
  • produção em volume de madeira - $ m^3~ha^{-1}~ano^{-1} $;
  • produção em biomassa - $ Mg~ha^{-1}~ano^{-1} $;

Notação: Uso da letra grega maiúscula delta ($ \Delta $) acompanhada do símbolo referente á grandeza de crescimento. Exemplos:

  • diâmetro médio - $ \Delta~\overline{d} $;
  • altura média - $ \Delta~\overline{h} $;
  • área basal - $ \Delta~G $;
  • produção em volume de madeira - $ \Delta~V $;
  • produção em biomassa - $ \Delta~B $;

Leitura: Husch et al.,1982.

Critério de inclusão

Tipo de Verbete: sinônimo.

Definição: Ver DAP mínimo.

Cubagem

Tipo de Verbete: conceito.

Definição: Termo que designa os diferentes métodos e técnicas que visam medir o volume de árvores, troncos e toras.

Cubagem, fórmulas de

Tipo de Verbete: método.

Definição: Fórmulas definidas a partir do estudo de sólidos de revolução utilizadas para determinar, de modo aproximado, o volume de toras de madeira. As principais fórmulas de cubagem são denominadas pelos nomes de seus proponentes: Smalian, Huber e Newton.

Ver também: sólidos de revolução.

Leitura: Batista, 1998, Machado e Figueiredo Filho, 2003.

Cubagem, Regra de

Tipo de Verbete: método.

Definição: Método para definir o volume de toras baseado na experiência prática ou numa convenção, gerando resultados aproximados. No Brasil, as regras de cubagem em uso são a regra de Francon e a regra da alfândega de Paris. Diferem das fórmulas de cubagem por não representarem aproximações do volume de sólidos geométricos.

Ver também: Francon, Regra de; Alfândega de Paris, Regra da.

Leitura: Batista, 1998; Machado e Figueiredo Filho, 2003.

Cubagem rigorosa

Tipo de Verbete: método.

Definição: Cubagem baseada na medida direta do volume do lenho, pelo método do deslocamento de água ou pelo método do empuxo, ou baseada na determinação do volume do lenho por fórmulas de cubagem que utilizam medidas do diâmetro dos troncos e ramos em diversas posições ao longo desses.

Leitura: Gomes, 1957; Batista, 1998, Machado e Figueiredo Filho, 2003.

Cubicagem

Tipo de Verbete: sinônimo.

Definição: Ver cubagem

Curva-guia, método da

Tipo de Verbete: método.

Definição: Método de construção de curvas de índice de sítio através do ajuste estatístico, por regressão linear ou não-linear, de um modelo da altura média das árvores dominantes em função da idade do povoamento. Um dos parâmetros do modelo é tomado como indicador de sítio expressando-o em função em função da idade base e da altura média das árvores dominantes nessa idade (índice de sítio). A substituição do parâmetro no modelo ajustado pela expressão resultante gera um modelo que expressa a altura média das dominantes em função da idade,da idade base e do índice de sítio. O método da curva-guia pode ser aplicado em dados de parcelas temporárias de inventário florestal, pois não requer que uma mesma parcela tenha sido medida em mais de uma ocasião.

Ver também: índice de sítio.

Leitura: Clutter et al.,1983.



glossarivm-logo.jpg

Apresentação A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z Referências
publico/metrvm/glossarivm/c.txt · Última modificação: 2014/04/22 08:49 (edição externa)