Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


Barra lateral

CMQ
Centro de Métodos Quantitativos


USP ESALQ
Depto. de Ciências Florestais
ESALQ
UNIVERSIDADE de SÃO PAULO
Av. Pádua Dias, 11
Caixa Postal 09
13418-900 - Piracicaba - SP
BRASIL
publico:users:cristianoreis

Cristiano Rodrigues Reis


Linha de Pesquisa

Economia e Planejamento Florestal

Formação Acadêmica


Graduação
  • Bacharelado em Engenharia Florestal (2011 - 2016) - Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Mestrado
  • Mestre em Ciência Florestal - Programa de Pós-graduação em Ciência Florestal (2016 - 2018) - Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus Jk (UFVJM)

Resumo

Como defendido na exploração de impacto reduzido, o planejamento é fundamental para o manejo sustentável de florestas tropicais. Novas tecnologias, como o LiDAR, têm permitido a construção de mapas e obtenção de estimativas que auxiliam tanto no planejamento quanto nas etapas de exploração e monitoramento do impacto. Com o intuito de reunir os diversos produtos do escaneamento laser aerotransportado (ALS) dispersos na literatura e úteis no manejo florestal, o objetivo deste trabalho foi apresentar uma sequência metodológica para determinar e monitorar as restrições ambientais e operacionais em uma área sob manejo na Amazônia. A área de estudo encontra-se na fazenda Cauaxi, município de Paragominas, estado do Pará. Foram sobrevoados 1214 hectares de Floresta Amazônica submetidas a manejo de impacto reduzido. Foram gerados os modelos digitais de terreno (MDT), hidrológicos e topográficos. A vegetação foi mapeada por meio dos modelos de densidade relativa (MDR), de biomassa, de localização de árvores dominantes e codominantes, de clareiras e gerado o mapa da infraestrutura existente. Por fim, a estrutura vertical da floresta foi analisada pela descrição do perfil vertical do dossel. A resolução do MDT foi de 1 metro e foi possível observar a variação da elevação local e os divisores de água. A densidade de drenagem foi de 1,7 km/km² e as áreas de preservação permanente (APP) de cursos d’água e nascentes somaram 137,7 ha. Mapas pouco utilizados como os de microbacias e distâncias vertical e horizontal poderiam ser considerados na divisão da área em unidades de produção anual e na delimitação de APP, respectivamente. A declividade variou de 0 a 30°, não apresentando APP por declividade, característica de um relevo predominantemente suave ondulado. As áreas com restrição ao trator skidder não ultrapassaram 1 km² e, as restritas aos caminhões carregados somaram 1,9 km². A densidade de estradas na área foi de 23,42 m.ha-1 e o número de pátios por hectare foi de 0,04. A área total impactada pela abertura de estradas, trilhas e pátios foi de 30,77 hectares, correspondendo à 2,54% da área total. Foi possível observar menores valores de biomassa nas unidades de produção anual já exploradas. O mesmo ocorreu entre os valores de porcentagem de clareiras. O valor de biomassa médio, considerando pixels de 50×50 m, foi de 35,5 kg. Os menores valores dos parâmetros de forma e escala da função Weibull para o sub-bosque mostraram relação com as áreas impactadas pela abertura de infraestrutura, sendo uma alternativa ao MDR no monitoramento do impacto. Já o parâmetro de escala para o estrato da copa teve relação com o modelo de máximo dossel, indicando a localização das árvores emergentes. Foi possível mapear de maneira precisa as áreas com restrições ambientais e operacionais a partir do ALS, bem como, obter outros produtos interessantes para o manejo florestal. Este trabalho apresentou um roteiro metodológico para a inserção do ALS no planejamento de todas as etapas do manejo florestal.

  • Bolsista - Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG)
Doutorado
  • Doutorado em Recursos Florestais (2018 - atual) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”/ Universidade de São Paulo (ESALQ/USP)
  • Tese -
  • Bolsista -

Contato


  • e-mail: cristiano.reis@usp.br
  • telefone: (19) 2105-8676
publico/users/cristianoreis.txt · Última modificação: 2018/08/15 11:44 por cris