Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


Barra lateral

CMQ
Centro de Métodos Quantitativos


USP ESALQ
Depto. de Ciências Florestais
ESALQ
UNIVERSIDADE de SÃO PAULO
Av. Pádua Dias, 11
Caixa Postal 09
13418-900 - Piracicaba - SP
BRASIL
publico:users:marcelomagioli

Marcelo Magioli


Linha de Pesquisa

Ecologia Aplicada e Biologia da Conservação

Formação Acadêmica


Graduação
  • Ciências Biológicas (2004 - 2007) – Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas)
Mestrado
  • Mestre em Ciências - Programa de Recursos Florestais. Opção em: Conservação de Ecossistemas Florestais (2011 - 2013) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”/ Universidade de São Paulo (ESALQ/USP)

Resumo

A escassez de trabalhos acerca dos impactos causados por mosaicos agrícolas sobre a biodiversidade dificulta a criação de estratégias de conservação, havendo necessidade de informações acerca da ecologia e comportamento de espécies da fauna. Nesse contexto o presente estudo objetivou: 1) determinar a composição e estrutura de assembleias de mamíferos de médio e grande em uma paisagem agrícola de Mata Atlântica; 2) avaliar o padrão de alimentação da onça-parda (Puma concolor) por meio da análise de isótopos estáveis (SIA) em dois mosaicos agrícolas; 3) analisar por meio da diversidade funcional (FD) assembleias de mamíferos em remanescentes florestais distribuídos nas principais regiões biogeográficas da Mata Atlântica, e identificar limiares ecológicos para a conservação. Para o inventário, foram selecionados oito remanescentes florestais na Região Metropolitana de Campinas (RMC), São Paulo. Os dados foram coletados por busca ativa (visualizações e vestígios), resultando no registro de 34 espécies de mamíferos, sendo 27 de médio e grande porte, quatro de pequeno porte, e três exóticas. Sete espécies se encontram ameaçadas de extinção, com registros inéditos de Myrmecophaga tridactyla e Lycalopex gymnocercus. A riqueza e a composição de espécies registradas apontaram a RMC como importante para a conservação da mastofauna. Foram analisados isotopicamente (carbono e nitrogênio) pelos de onças-pardas, obtidos a partir de amostras fecais coletadas por busca ativa em remanescentes florestais inseridos em paisagens agrícolas no interior do estado de São Paulo. Houve maior consumo de presas C3 (~47% dos indivíduos) na área com maior proporção de vegetação nativa, e maior consumo de presas C4 (~40% dos indivíduos) para a área onde é predominante a matriz agrícola. Foi constatado o consumo de presas com dieta baseada em itens alimentares dos remanescentes e da matriz agrícola, sugerindo alta plasticidade comportamental das onças-pardas e de suas presas ocupando áreas fortemente impactadas pelo homem. A ferramenta isotópica apresentou informações pioneiras sobre ecologia trófica, podendo contribuir na elaboração estratégias de conservação em áreas antropizadas. Para a análise da FD e identificação dos limiares foi utilizado um banco de dados composto por 49 assembleias de mamíferos, criado a partir de dados primários e secundários de inventários, sendo selecionadas 38 características das espécies para o cálculo. A existência de limiares foi verificada utilizando a função “segmented”, disponível no programa R. A FD apresentou-se diferente para assembleias com o mesma riqueza de espécies, indicando que filtros ambientais podem influenciar nos valores. O incremento gradual na FD devido ao aumento da área dos remanescentes mostrou uma relação positiva, possivelmente ligada a maior complexidade e heterogeneidade de áreas maiores. Foram identificados dois limiares (52 e 1244 ha), criando três situações funcionalmente distintas, tanto críticas quanto mais estáveis, permitindo definir e propor formas de ação específicas. Assembleias presentes entre os limiares apresentaram incremento funcional significativo entre FD e o aumento da área dos remanescentes, e ações visando à restauração e melhorias na configuração da paisagem devem ser incentivadas. Conclui-se, portanto, que tanto a SIA quanto a FD, podem ser consideradas importantes ferramentas para delinear estratégias e ações em prol da conservação da mastofauna.

  • Bolsista - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Doutorado
  • Doutorado em Ecologia Aplicada (2014 - atual) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”/ Universidade de São Paulo (ESALQ/USP)
  • Tese - Ecologia trófica de carnívoros da Mata Atlântica: utilização da análise de isótopos estáveis e da diversidade funcional para a conservação
  • Bolsista - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)

Contato


  • e-mail: marcelo.magioli@gmail.com
  • telefone: (19) 99842-1013 /(19) 98108-9600
publico/users/marcelomagioli.txt · Última modificação: 2015/08/10 20:48 (edição externa)